Passar para o Conteúdo Principal Top
Câmara Municipal de Maia
Logótipo da Câmara Municipal de Maia

#sorrirseguirseguro

Agenda Cultural_fim de semana

25 a 30 Mai
Adicionar a calendário 2022-05-25 00:00:00 2022-05-30 00:00:00 Europe/Lisbon Agenda Cultural_fim de semana Evento
Agenda Cultural_fim de semana
Cultura

UMA “COLMEIA” “À DERIVA” EM NEW ORLEANS!!!!!

Se bem que as nossas amigas abelhas gostem muito do nosso Jardim Comunitário ainda não temos nenhuma colmeia, nem certamente andará à deriva pelas ruas de New Orleans até porque fica longe, mas este Domingo a cidade americana e a sua música vibrante estarão mais perto, no palco do Fórum, palco onde também andará alguém à deriva. E a colmeia??? Não cabe tudo no mesmo palco, vai para o Venepor ;) A Divisão de Cultura da Câmara Municipal da Maia arranja espaço para todas as artes.

“À Deriva” é a peça de teatro que sobe ao palco do Fórum da Maia, amanhã, às 19h00, numa Coprodução da Companhia de Teatro do Algarve e Companhia de Teatro de Braga. Na sua génese, o texto reporta-se a uma situação concentracionária específica e a um caso verídico ocorrido durante o regime do apartheid na África do Sul, na ilhaprisão de Robben, a mesma onde Nelson Mandela cumpriu pena durante 27 anos. No caso, dois companheiros de infortúnio partilham a mesma cela; durante o dia realizam trabalho forçado e à noite ensaiam a Antígona, de Sófocles.

A sonoridade orquestral e clássica ao estilo jazz dixieland "New Orleans” é o que propõe o concerto “Orchestral Experience”, um espetáculo que surge da cooperação dos Mimo's Dixie Band com a orquestra sinfónica Jovens Músicos Maiatos do Conservatório de Música da Maia, a não perder, domingo, às 16h00.

“Colmeia”, de Blerta Basholi, é a filme que o Cineclube da Maia exibe no Venepor no sábado, às 21h30. Com o marido desaparecido na guerra no Kosovo, Fahrije decide criar uma pequena empresa agrícola para conseguir sustentar a família. Infelizmente, na aldeia patriarcal e tradicional onde vive, as suas ambições e esforços para se tornar uma mulher mais poderosa não são bem vistos. Dirigido e escrito pela kosovar Blerta Basholli, na sua estreia em realização, “Colmeia” baseia-se numa circunstância real e foi o primeiro filme da história do Festival de Cinema de Sundance (EUA) a vencer os três prémios principais: Grande Prémio do Júri, Prémio do Público e Prémio de Realização, da secção Cinema Mundial.

A Paróquia de Nossa Senhora da Maia promove no próximo sábado, 28 de maio, 21h30, na Igreja de Nossa Senhora da Maia um concerto com o organista Filipe Veríssimo para assinalar o encerramento do Mês de Maria.

Mas não é só, ainda temos muitas exposições e as atividades para toda a Família na Biblioteca e no Museu.

Bom fim de semana…

FÓRUM DA MAIA

Amanhã, quinta-feira, 26 de maio, 19h00
Grande Auditório do Fórum da Maia
Teatro À(s) Quintas
Teatro Art’Imagem/Câmara Municipal da Maia
"À Deriva" - Uma Coprodução ACTA – Companhia de Teatro do Algarve e CTB -
Companhia de Teatro de Braga - Faro/Braga

M/12
60M
Na sua génese, o texto reporta-se a uma situação concentracionária específica e a um caso verídico ocorrido durante o regime do apartheid na África do Sul, na ilhaprisão de Robben, a mesma onde Nelson Mandela cumpriu pena durante 27 anos. No caso, dois companheiros de infortúnio partilham a mesma cela; durante o dia realizam trabalho forçado e à noite ensaiam a Antígona, de Sófocles. O objectivo é que a peça (reduzida às personagens Antígona e Creonte) seja apresentada perante os outros prisioneiros: ela expõe paralelos entre a situação de Antígona, condenada por razão discricionária, e a idêntica contingência em que todos eles se
encontram naquela ilha-prisão. Pois, se esta é a génese, o enredo, no entanto, contém uma inevitabilidade que, no plano das conjeturas dramatúrgicas, nos remete para problemáticas da contemporaneidade, designadamente no que respeita a casos de migrantes que, fugindo da miséria, não logram chegar ao esperançoso lado ocidental do Mediterrâneo e acabam capturados e explorados em condições análogas às que o texto fundador expõe; também aos que nos seus próprios países são reféns da cobiça e interesses múltiplos, como é o caso dos sujeitos a escravatura nas minas de Coltan no leste do Congo, o mineral metálico coração dos smartphones; também ao tráfico humano, em geral, que contemporaneamente acontece em África com a discreta conivência e múltiplos interesses ocidentais… Por conseguinte, o drama daqueles dois homens de Robben perpetua-se noutras ilhas e sob outros pretextos.

Domingo, 29 de maio, 16h00
Grande Auditório do Fórum da Maia
Orquestra Jovens Músicos Maiatos e Mimo’s Dixie Band / Orchestral Experience

Mimo's Orchestral Experience é um espetáculo que surge da cooperação dos Mimo's Dixie Band com a orquestra sinfónica Jovens Músicos Maiatos do Conservatório de Música da Maia, e que propõe a junção da sonoridade orquestral e clássica ao estilo jazz dixieland "New Orleans" e a um forte sentido de espetáculo.
Aliando uma desafiante vertente pedagógica e de aprendizagem para os músicos intervenientes a um espetáculo áudio visual cheio de ritmo e que não deixará nenhum espectador indiferente, este espetáculo, que tem como elementos predominantes a comédia, o circo e a “arte do silêncio”, justapostos a um repertório orquestral adaptado ao estilo, promete uma singular e multidisciplinar experiência onde, por vezes, os próprios músicos da orquestra serão postos à prova uma vez que são retirados da sua zona de conforto.
Entrada livre.

Até 19 de junho
Fórum da Maia
Exposição
"a aurora não se demorará", de SantoSilva

Assente no objetivo de valorização e promoção de talentos emergentes, elemento integrante da política cultural do município, a Câmara Municipal da Maia apresenta, através do seu Pelouro da Cultura, a exposição “a aurora não se demorará” de SantoSilva, desenvolvida a partir de um trabalho de investigação artística em torno das tradições judaico-cristãs.
De 30 de abril a 19 de junho, no Fórum da Maia, SantoSilva recorre aos meios da videoarte, da pintura e de um ritual performativo a fim de convidar o observador a aproximar-se da sua condição de finitude, sob o ímpeto da brutalidade. Fá-lo a partir de um pressuposto: o Fim como potência do porvir.
Terça a Domingo, das 10h00 às 22h00
Entrada Livre
ARTISTA
SantoSilva (Lisboa, 1980), licenciado em Sociologia e em Artes Plásticas. Formador de pintura na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto. Diretor da Escola Utopia, Arte & Ideias, residente na Maia, estando atualmente a concluir o seu doutoramento em Arte Contemporânea na Universidade de Vigo.
O trabalho artístico de SantoSilva debruça-se sobre questões capitais da existência humana, sob o prisma da finitude, recorrendo a meios como a performance, a videoarte e a pintura.
Performance
“ao terceiro dia aprendemos o fogo”
Diariamente, SantoSilva, realizará o ritual performativo “ao terceiro dia aprendemos o fogo”, no qual, através do “rito”, convida o espectador a refletir sobre os seus costumes e sobre a sua própria condição de ser finito.
30 de abril a 19 de junho de 2022
segunda a domingo, às 10h00
Fórum da Maia
Entrada livre

Oficina “Costura em Ponto” – INSCRIÇÕES ABERTAS
Segunda-feira, 30 de maio, 18h00 - 20h30
Fórum da Maia
Oficina "Costura em Ponto"

Estão abertas as inscrições para mais uma oficina da “Costura em Ponto”
Na próxima sessão, partilhando conhecimentos, experiências e técnicas de costura, cada participante terá a oportunidade de construir uma pochete a partir de um molde, decorando-a ao seu gosto.
“Costura em Ponto” pretende ser uma atividade para todos os aficionados pelo corte e costura, desde os iniciantes até aos mais experientes.
Inscrições gratuitas, disponíveis através de infocultura@cm-maia.pt, vagas limitadas.
Informações
Duração: 02h30
Destinatários: M/18
Nível: Iniciação
Formador: AACM - Associação Artes Criativas da Maia
Pré-requisitos: Para esta atividade os seus participantes devem trazer a sua máquina de costura, alfinetes, tesoura, tecido (60x40cm) + forro (60x40cm), botão e manta acrílica (sugestão).

Jardim Comunitário do Fórum da Maia

O “Jardim Comunitário do Fórum da Maia” é um espaço desenhado especialmente para si e para toda a nossa comunidade, projetado não só para apreciação estética, mas também, simultaneamente e essencialmente, para o incentivo de práticas ambientais sustentáveis, traduzidas em ações desenvolvidas no âmbito de uma sensibilização cultural firmada na educação e responsabilização ambiental.
Junte-se a nós, saiba como aqui: https://bit.ly/3xoY23N

BIBLIOTECA MUNICIPAL DA MAIA

Até 31 de maio
Hora do conto - “BiblioConto Sénior”

Este programa pretende levar ao público sénior o incentivo à leitura e combater a iliteracia. Unindo-se ao já serviço existente do Biblobus pretende levar a leitura em voz alta para o público mais idoso e estreitar a relação com os livros através da troca de experiência entre diferentes gerações.
Gratuito
Outras informações e inscrições: 351 22 940 86 38, biblioteca@cm-maia.pt
Observações: atividade sujeita a marcação (mínimo de 5 inscrições)

Até 31 de maio
Hora do Conto - “Contos Contigo Conto”

Contos Contigo Conto é a atividade de contar histórias que a Biblioteca Municipal realiza diariamente para os mais novos e que permite o enriquecimento das experiências infantis, o desenvolvimento da linguagem, do imaginário, da criatividade e do potencial crítico das crianças. Para os mais pequenos, o livro “Definitivamente não abras este Livro”, de Andy Lee, e para os mais crescidos, “João Camarão e o Guisado Pirata”, de Lou Carter.
Gratuito
Outras informações e inscrições: 351 22 940 86 38, biblioteca@cm-maia.pt
Observações: atividade sujeita a marcação e para as escolas do concelho.

Sábado, 28 de maio, 11h30
Espetáculo - Histórias Fiadas

Sábados mágicos, histórias divertidas, fantasia e imaginação, contos maravilhosos e muita animação. A Biblioteca espera por ti com incríveis leituras para toda a família.
Gratuito

Sábado, 28 de maio, 16h00 – 18h00
Biblioteca Municipal da Maia
Tertúlia “Asas de Poesia”

O grupo “Asas de Poesia” continua como espaço de comunicação da palavra escrita em forma de POESIA, procurando homenagear ao mesmo tempo grandes poetas desaparecidos e procurando apresentar géneros poéticos diferentes, cada sessão do grupo pretende ser uma agradável tarde de convívio entre a poesia, a música e o público.
Gratuito

Sábado, 28 de maio, 21h00
Biblioteca Municipal da Maia
Encontro com a Escritora
Apresentação do livro “Acordem-me por favor”, de Ana Ribeiro

Rita era muito terra-a-terra, apesar de viver junto ao mar. Ironia do destino, era precisamente o oceano, que lhe ia trazer o grande amor da sua vida. Lentamente, começou a baixar a guarda, não só perdendo essa fobia, como se aventurando aos poucos em atividades marítimas. Quando pensava dominar esse gigante, bastaram uns segundos de desatenção para perceber, que essa força da natureza, era impossível de domar. Mas percebeu tarde demais, e as consequências foram devastadoras, mudando por completo o rumo da sua vida.
Gratuito

Até 30 de maio
Exposição “Voltar aos passos que foram dados”

No final de Viagem a Portugal, José Saramago diz-nos: “É preciso voltar aos passos que foram dados, para repetir e para traçar caminhos novos ao lado deles. É preciso recomeçar a viagem. Sempre. O viajante volta já”.

Com a exposição “Voltar aos passos que foram dados”, com seleção e composição de textos de Carlos Reis e Fernanda Costa, e design de André Letria, aceitámos o desafio do escritor e construímos uma mostra que faz uma “viagem” pela biografia literária de José Saramago. Deduz-se daí uma “narrativa” que nos leva a encontrar ou a reencontrar, em formato expositivo, as obras e o legado cultural e cívico de um grande escritor.
Segunda-feira: 18h00 – 23h00 I Terça a sexta-feira: 09h30 – 23h00 I Sábado: 09h30 – 22h30
Gratuito

QUINTA DA CAVERNEIRA

Até 31 de maio
Galeria da Quinta da Caverneira
Exposição 'Tanto Teatro! 40 Edições do Fazer a Festa'

Desde 1982 a edificar uma "aldeia teatral" no Porto e na Maia, as duas principais cidades onde ele tem decorrido, e de onde também irradiou para concelhos vizinhos do distrito, um singelo tributo às centenas de companhias, artistas e participantes e aos milhares de espectadores que por cá passaram. Cantamos os parabéns numa celebração simbólica na edição deste ano, com uma exposição/performance de celebração destas memórias. Entre testemunhos, imagens, e materiais gráficos, iremos
relembrar as 40 edições num ambiente festivo, que é intrínseco ao Festival.
Curadoria: José Maia
Desenho do Espaço Expositivo: Ponto Parágrafo
Execução e Montagem: Ponto Parágrafo e José Lopes
Apoio à Montagem: Zé Pedro, Isabela Sá e Pedro Ribeiro
Luz, Som e Vídeo André Rabaça
Agradecimento: Ponto Parágrafo e Espaço Mira
Gratuito

MUSEU DE HISTÓRIA E ETNOLOGIA DA TERRA DA MAIA

Até 31 de março de 2023
Exposição “A Empreza do Bolhão – 100 anos de História(s)”

A Empreza do Bolhão, sucessora das empresas publicitárias e de filmes de Raúl Caldevilla, começou em 1923 e manteve-se até meados dos anos 90, sendo depois integrada na Packigráfica do grupo Higifarma, embora mantendo a mesma designação.
Esta empresa era possuidora de uma das maiores coleções de cartazes publicitários, além de antiga maquinaria e um importante acervo de rótulos e postais. Uma grande parte do que de melhor se fez em publicidade está reunido neste importante espólio da Empreza do Bolhão, desde os tempos de Raul de Caldevilla.
A ligação de Caldevilla à Empreza do Bolhão.
Através de importantes apoios bancários funda no Porto uma empresa, a Propagandas Caldevilla na Rua 31 de Janeiro, e depois em 1916, a Raul de Caldevilla & Cia. Lda na Rua Formosa, que ficará conhecida por Caldevilla Film.
São seus sócios Eduardo Kendall, João Manuel Lopes de Oliveira e António de Oliveira Cálem. A partir do Porto, vai criar e produzir cartazes de grande formato para publicidade exterior para todo o país, sob a sigla ETP. Sucede-se a Empresa Técnica Publicitaria Film Gráfica Caldevilla, onde esteve como gerente da firma até 1923. Em rutura com os sócios da empresa, abandona a sociedade e esta transforma-se em Empreza do Bolhão.
Grande parte deste espólio documental das empresas de Caldevilla e da Empreza do Bolhão pode agora ser visto nesta exposição. De valor histórico e gráfico único no país, esta coleção da Empreza do Bolhão, da Litografia Nacional e de outras gráficas são um manancial de informação sobre design, grafismo e processos de produção. Composta por uma diversidade de cartazes, rótulos, postais, catálogos, quadros, livros, bibliografia diversa, maquinaria, móveis, bustos, esta coleção ilustra, de forma significativa, a evolução da indústria litográfica do séc. XX em Portugal.

Até 30 de maio
A Arqueologia na Maia
Oficina para Famílias e Escolas "A arte na pré-história"

Com recurso a pigmentos naturais, vamos pintar como na pré-história. Esta atividade encontra-se disponível para a comunidade escolar e para as famílias.
Até 30 de dezembro de 20022
Terça-feira a sábado das 9h00 às 12.30 e das 14h00 às 17h30
Inscrições
Tel. (+351) 229.871144
museu@cm-maia.pt

Até 31 de maio
Exposição Permanente “Identidade e Território”

Esta exposição tem como objetivo divulgar a história local desde a pré-história até à idade contemporânea levando o visitante a percorrer visualmente as datas mais marcantes da origem e criação da Terra da Maia.
Terça a sábado das 09h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30.
Gratuito
Contactos: 229871144 | museu@cm-maia.pt
Observações: visitas guiadas de terça a sábado sujeitas a marcação

Até 31 de maio
Exposição Permanente “Arqueologia na Maia”

Esta exposição tem como objetivo divulgar a história local com recurso à exposição, documentação e exploração de materiais arqueológicos exumados no concelho da Maia, sensibilizando a comunidade para o património arqueológico, pelo acesso regular ao mesmo.
Terça a sábado das 09h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30
Gratuito
Contactos: 229871144 | museu@cm-maia.pt
Observações: visitas guiadas de terça a sábado sujeitas a marcação

AUDITÓRIO MUNICIPAL VENEPOR

Sábado, 28 de maio, 21h30
Cineclube da Maia
“Colmeia”, de Blerta Basholi

Com o marido desaparecido na guerra no Kosovo, Fahrije decide criar uma pequena empresa agrícola para conseguir sustentar a família. Infelizmente, na aldeia patriarcal e tradicional onde vive, as suas ambições e esforços para se tornar uma mulher mais poderosa não são bem vistos.
Dirigido e escrito pela kosovar Blerta Basholli, na sua estreia em realização, “Colmeia” baseia-se numa circunstância real e foi o primeiro filme da história do Festival de Cinema de Sundance (EUA) a vencer os três prémios principais: Grande Prémio do Júri, Prémio do Público e Prémio de Realização, da secção Cinema Mundial.
2021 | Macedónia/Kosovo/SUI/Albânia | 1h 24min | DRAMA
Bilhete normal 3,50€
Bilhete associado 1,40€
Bilhete estudante 3,00€

TECMAIA

Até 20 de junho
Exposição “A Maia e a sua Gente”

Costuma-se dizer que o maior património de uma terra é o seu povo. A Maia não é exceção.
Aqui faremos uma incursão pela “nação” da Maia, numa viagem pelo séc. XX maiato.
Reviva através de imagens, as pessoas, os momentos marcantes, as efemérides, as conquistas de gente que marcou a nossa terra.
Gratuito
Segunda a sexta-feira, 09h00 - 19h00

Até 20 de junho
Exposição “A Arquitetura e a Cidade - Mês da Arquitetura”

17 projetos que marcaram a construção da Maia. Uma leitura da construção do centro da cidade da Maia a partir das arquiteturas e do discurso dos seus arquitetos. No contexto da recente celebração dos 500 anos do Foral da Maia, o Mês da Arquitetura da Maia 2021 propõe uma narrativa, entre muitas possíveis, da construção da cidade da Maia e do seu centro.
Trata-se de uma visão configurada através de um conjunto de obras de arquitetura que, em si próprias, e através das relações que estabelecem com a cidade, são capazes de explicar ou, pelo menos, testemunhar, alguns dos principais processos da transformação urbana ocorrida, em particular, nos últimos sessenta anos.
Privilegia-se a diversidade de formas arquitetónicas e de programas, de escalas e de sistemas construtivos, mostrando a complexidade da disciplina da arquitetura e da sua prática.
Gratuito
segunda a sexta-feira, 09h00 - 19h00

CENTRO COMERCIAL MAIA JARDIM

Até 29 de maio
Galeria Comercial do Maia Jardim
Exposição "José Filipe a e Arte do Ferro"

José Filipe trabalhou com alguns dos arquitetos portugueses mais conceituados, as suas mãos forjaram o ferro que os deputados da Assembleia da República observam nas barras das janelas de S. Bento, entre outras obras de vulto.
Autor de trabalhos sob a forma de miniaturas, vamos dar a conhecer José da Silva Filipe, o serralheiro à moda antiga de Moreira.

Todos os dias entre 08h00 e as 22h00

JUNTA DE FREGUESIA DE NOGUEIRA / SILVA ESCURA

Até 10 de junho
Exposição “Capelas e Capelinhas da Maia”

A religiosidade na Maia manifestou-se através de diversas formas. Capelas e capelinhas, encontram-se dispersas um pouco por todo o concelho. De maiores dimensões, até às mais simples, das bastante concorridas em festas até às mais isoladas numa elevação de terreno, todas têm um propósito de existirem e estão consagradas a um protetor ou a uma invocação. Vamos então relembrar algumas, seja pela sua antiguidade ou pelo simples traço.
De segunda a sexta-feira, 09h00 - 12h30 l 14h00 - 17h30
Gratuito

IGREJA DE NOSSA SENHORA DA MAIA

28 de maio, 21h30
Concerto no Grande Órgão de Tubos da Igreja de Nossa Senhora da Maia
Organista: Filipe Veríssimo

A Paróquia de Nossa Senhora da Maia promove no próximo sábado, 28 de maio, 21h30, na Igreja de Nossa Senhora da Maia um concerto com o organista Filipe Veríssimo para assinalar o encerramento do Mês de Maria.
GRATUITO

BREVEMENTE:

"No Conto da Raposa"
Historioscopio - Teatro de Marionetas
5 de junho, Domingo, 16h00
Auditório Exterior do Fórum da Maia

Jazz no Parque Central da Maia 2022
16 de junho
18h30 | Eurico Costa “Copal”
21h30 | André Silva “The Guit Kune Do”
17 de junho
18h30 | AP Quarteto
21h30 | Joana Raquel & Miguel Meirinhos - “Ninhos”
18 de junho
17h00 | Winnie da Hop + Hop Dance Studio
21h30 | Manuel Linhares “Suspenso”
19 de junho
17h00 | Carlos Azevedo Quarteto - Serpente