Passar para o Conteúdo Principal Top
Câmara Municipal de Maia
Logótipo da Câmara Municipal de Maia

Sorrir para a Vida.

FAZER A FESTA (programa) - FESTIVAL INTERNACIONAL DE TEATRO PARA A INFÂNCIA E JUVENTUDE

28 Mai a 03 Jun
Adicionar a calendário 2019-05-28 12:05:00 2019-06-03 12:05:00 Europe/Lisbon FAZER A FESTA (programa) - FESTIVAL INTERNACIONAL DE TEATRO PARA A INFÂNCIA E JUVENTUDE Evento
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
image title
Cultura

TERÇA-FEIRA, DIA 28 MAIO
16h00 Abertura Exposição
“Ex-votos Teatrais - José Caldas, 40 anos de Teatro”
Quinta Parede - Matosinhos
Galeria Quinta da Caverneira
Entrada Livre

16h30 Homenagem a José Caldas
“Por um Teatro Popular a partir da infância”
Biblioteca Quinta da Caverneira
Entrada Livre

17h30 “O lugar da Palavra no Teatro para jovens públicos”
Tertúlia/Encontro
Auditório Quinta da Caveneira
Entrada Livre

QUARTA-FEIRA, DIA 29 MAIO
"Assim se Fazem as Coisas"
17h30 Te-Ato, Teatro de Leiria/João Lázaro
18h00 Festival I, D´Orfeu, Águeda/Luís Fernandes
Apresentação/Divulgação
Biblioteca Quinta da Caverneira

21h30 Autómato – Teatro do Noroeste – CDV – Viana do Castelo
Espectáculo
Auditório Quinta da Caverneira
50M | M/3
22h20 Vozes do público
Conversa sobre o espetáculo
Auditório Quinta da Caverneira

QUINTA-FEIRA, DIA 30 MAIO
"Assim se Fazem as Coisas"
17h30 Casa da Esquina, Coimbra/Ricardo Correia
18h00 Carruagem, Porto/ Diana Barnabé
Apresentação/Divulgação
Biblioteca Quinta da Caverneira

21h30 O Medo Azul – Quinta Parede - Matosinhos
Espectáculo
Auditório Quinta da Caverneira
50M | M/6
22h20 Vozes do público
Conversa sobre o espetáculo
Auditório Quinta da Caverneira

SEXTA-FEIRA DIA 31 DE MAIO
“Assim se fazem as Coisas”
17h30 Pim Teatro, Évora/João Palma
18h00 Teatro O Bando, Palmela/Margarida Mata
Apresentação/Divulgação
Biblioteca Quinta da Caveneira

21h30 La vida de los Salmones – Karlik Danza Teatro - La Nave del Duende – Cáceres/Espanha
Espectáculo
Auditório Quinta da Caverneira
60M | M/6
22h30 Vozes do público
Conversa sobre o espetáculo
Auditório Quinta da Caverneira

SÁBADO, DIA 1 JUNHO (Dia Mundial da Criança)
16h00 Evaristo&Cia – Txo Titelles – Catalunha/Espanha
Espectáculo
Exterior da Quinta da Caverneira
M/6 | 45M
17h00 Vozes do público
Conversa sobre o espetáculo
Exterior da Quinta da Caverneira
Entrada Livre

18h00 La Primera obra de Arte - Fundición Sevilla & Oriolo - Sevilha/Espanha
Espectáculo
Auditório da Quinta da Caverneira
M/6 | 60M
18h45 Vozes do público
Conversa sobre o espetáculo
Auditório da Quinta da Caverneira

DOMINGO, DIA 2 JUNHO
16h00 Evaristo&Cia – Txo Titelles – Catalunha/Espanha
Espectáculo
Exterior da Quinta da Caverneira
M/6 | 45M
17h00 Vozes do público
Conversa sobre o espetáculo
Exterior da Quinta da Caverneira
Entrada Livre

18h00 Os Grandes Não Têm Grandes Ideias - Fértil Cultural – Vila Nova de Famalicão
Espectáculo
Auditório da Quinta da Caverneira
M/6 | 45M
18h45 Vozes do público
Conversa sobre o espetáculo
Auditório da Quinta da Caverneira

SEGUNDA, DIA 3 JUNHO
15h00 “Último Ato”
Reflexão Crítica sobre espectáculos e Programa
Auditório da Quinta da Caverneira
Entrada Livre

18h00 NOVOS CADERNOS FAZER A FESTA
Lançamento e Apresentação
Auditório da Quinta da Caverneira
Entrada Livre

OUTRAS ATIVIDADES
“Feira do Livro e Textos de Teatro”
De 28 de maio a 3 de junho
(Durante o horário das atividades programadas)
Biblioteca da Quinta da Caverneira

PROGRAMAÇÃO DETALHADA
TERÇA-FEIRA, DIA 28 MAIO
16h00
Abertura Exposição
“Ex-votos Teatrais - José Caldas, 40 anos de Teatro”
Quinta Parede - Matosinhos
Galeria Quinta da Caverneira

“Ex-voto” designa a prenda que o fiel oferece ao seu santo de devoção em cumprimento de uma promessa, pelo que a mostra reúne cerca de quatro dezenas de objetos, onde se incluem pequenos oratórios com adereços de espetáculos de José Caldas. Desta forma, o artista lança um olhar retrospetivo sobre quarenta anos de criação teatral, identificando em cada obra um fragmento que, polido e investido de intencionalidade, possa exprimir a sua essência. Segundo José Caldas, a exposição consiste numa “soma de objetos encontrados, procurados, reencontrados no vulgar dia-a-dia e transfigurados num extra quotidiano a desafiar o racional”. O objetivo é “fixar o efémero”, conceder-lhe memória, como se de um santuário se tratasse. A entrada na exposição tem o custo de cinco euros, e a inauguração decorre no dia 4, às 16h00.

José Caldas estudou Teatro no Brasil, em Londres e em França, e fundou várias companhias em Lisboa e Porto. Trabalhou com a maioria dos grupos independentes portugueses como encenador, ator e dramaturgo, tendo recebido três prémios da Associação Portuguesa de Críticos de Teatro, o Prémio Biennale du Théâtre Jeunes Publics (Lyon) e o Prémio María Casares (Galiza). José Caldas encenou ainda em Portugal, França, Itália e Brasil, e foi professor na ACE, ESMAE, Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação e Universidade de Évora. Crítico de teatro em “O Jornal” e no “Jornal de Notícias”, José Caldas distingue-se também como autor: publicou os livros “20 Anos de Teatro”, “Teatro na Escola – A Nostalgia do Inefável”, “Transgressões Disciplinares” e “40 Anos de Teatro”. Atualmente, é diretor artístico da Quinta Parede.

Projeto José Caldas Execução José Caldas e Artur Rangel Apoio à Montagem José Lopes Produção Quinta Parede

16h30
Homenagem a José Caldas
“Por um Teatro como Arte Popular a partir da infância”
Biblioteca Quinta da Caverneira

Este ano o festival homenageia um homem e companheiro de teatro que sempre caminhou de mãos dadas com o Art’Imagem, tendo na década de 90 encenado dois espetáculos da companhia: «A Menor Mulher do Mundo» em 1996, e «A Memória de Giz» em 1997, e desde sempre espectador assíduo e crítico do trabalho do Art’Imagem. José Caldas é um nome incontornável na história do Teatro para a Infância e Juventude em Portugal, diretor da companhia Quinta Parede, acumula dezenas de encenações. É ainda um dos pensadores mais marcantes do teatro para a Infância tendo publicado para além de vários artigos em revistas de teatro, os livros “20 Anos de Teatro”, “Teatro na Escola – A Nostalgia do Inefável”, “Transgressões Disciplinares” e “40 Anos de Teatro”, este último que será apresentado por José Leitão, durante a homenagem.

17h30 “O Lugar da Palavra no Teatro para jovens públicos”
Tertúlia/Encontro
Auditório Quinta da Caveneira

Há uma especificidade do texto dramático no Teatro para a Infância e Juventude? As palavras deverão responder a alguma característica particular no teatro para este jovem público? Há textos dramáticos escritos e publicados especificamente para este jovem público? A dramaturgia universal pode servir este teatro? Qual a importância das palavras?

Neste debate pretende-se refletir em torno dos textos, das dramaturgias para a Infância e Juventude, quer no seu mapeamento no teatro que se faz hoje e do que existe publicado, quer ao nível da importância que o texto assume no espetáculo.

Encontro entre os responsáveis artísticos e outros convidados para discutirem a atualidade as várias facetas do Teatro para a Infância e Juventude.

QUARTA-FEIRA, DIA 29 MAIO

"Assim se Fazem as Coisas"
17h30 Te-Ato, Teatro de Leiria/João Lázaro

Apresentação/Divulgação
Biblioteca Quinta da Caverneira

18h00 Festival I, D´Orfeu, Águeda/Luís Fernandes

Apresentação/Divulgação
Biblioteca Quinta da Caveneira

Quem faz e quem programa Teatro em Portugal para jovens públicos?
Para uma possível “cartografia” da situação atual.
Apresentações mais ou menos encenadas, orais, performativas, com meios audiovisuais, de Companhias, Criadores, Projectos, Festivais e Programadores.

Um tempo de saber o que fazem e por onde andam os que se dedicam ao teatro para os jovens públicos, juntando experiência e novos praticantes. Pretexto para que de uma forma perfomativa se dê a conhecer trajectos, espectáculos, companhias, programadores ou dramaturgos que se encarregam de manter vivo este teatro.

21h30 Autómato – Teatro do Noroeste – CDV – Viana do Castelo
Espectaculo
Auditório Quinta da Caverneira
M/03 | 50M
22h20 Vozes do público
Conversa sobre o espetáculo
Auditório Quinta da Caverneira

Tic-Tac canta, ri, chora e sabe tudo! Ele domina todas as ciências! É o maior fenómeno de todos os tempos! A maior atração do Circo Mil Maravilhas! Mas o que acontecerá a Tic-Tac se lhe tirarem um parafuso?
A partir de «Tic-Tac O Autómato que tinha um parafuso a menos!» Fernando de Paços Cocriação e Encenação Graeme Pulleyn Assistente de Encenação Gabriel GomesCocriação Chico Pires, Patrícia Ferreira e Pedro Roquette Interpretação Patrícia Ferreira, Pedro Roquette e Tiago Araújo Música Chico Pires Cenografia Porfírio Barbosa Desenho de Luz Nuno Tomás Figurinos Juliana Vilaça Execução de Guarda-Roupa Dona Agulha Produção Adriel Filipe Apoio à Produção Ana Reguengo
Historial
O Teatro do Noroeste – Centro Dramático de Viana, CRL., companhia profissional de teatro residente no Teatro Municipal Sá de Miranda, em Viana do Castelo, fez a sua estreia pública em 6 de Dezembro de 1991, sendo o mais antigo projeto profissional de criação artística em atividade no Alto Minho.

www.centrodramaticodeviana.com

QUINTA-FEIRA, DIA 30 MAIO

"Assim se Fazem as Coisas"
17h30 Casa da Esquina, Coimbra/Ricardo Correia

Apresentação/Divulgação
Biblioteca Quinta da Caverneira

18h00 Carruagem, Porto/ Diana Barnabé

Apresentação/Divulgação
Biblioteca Quinta da Caverneira

Quem faz e quem programa Teatro em Portugal para jovens públicos?
Para uma possível “cartografia” da situação atual.
Apresentações mais ou menos encenadas, orais, performativas, com meios audiovisuais, de Companhias, Criadores, Projectos, Festivais e Programadores

Um tempo de saber o que fazem e por onde andam os que se dedicam ao teatro para os jovens públicos, juntando experiência e novos praticantes. Pretexto para que de uma forma perfomativa se dê a conhecer trajectos, espectáculos, companhias, programadores ou dramaturgos que se encarregam de manter vivo este teatro.

21h30 O Medo Azul – Quinta Parede - Matosinhos
Espectaculo
Auditório Quinta da Caverneira
M/6 | 50M
22h20 Vozes do público
Conversa sobre o espetáculo
Auditório Quinta da Caverneira

Um espetáculo teatral sobre o medo para crianças a partir dos seis anos, adolescentes e adultos, baseado no conto “Barba Azul”, de Charles Perrault. "Em toda a Europa, depois da Idade Média até à nossa época, as bruxas, os ogres, os lobisomens e outros mitos não deixaram, ao longo dos séculos, de fazer medo às crianças. Estes personagens fantásticos que povoam o nosso inconsciente coletivo animaram numerosas histórias muitas vezes aterrorizantes. O “monstro” Barba Azul é uma dessas figuras míticas e arrepiantes. O Barba Azul conduzirá o público – pequenos e grandes – ao coração do medo através deste conto maravilhoso. Os intertextos dos irmãos Grimm, que também contaram este personagem, ou os contos tradicionais, de França “O barba ruiva” e o português “O colhereiro”, vão mostrar a universalidade deste mito e dotar o espetáculo de uma maior densidade dramática."

Encenação e Interpretação José Caldas Cenografia Marta Silva Música Miguel Rimbaud

Historial
A Quinta Parede é um projeto que pretende realizar com o seu jovem público um intenso atravessar desta metafórica zona de fronteira colocada entre o palco e a plateia, na convicção de que só a continuidade de tais "passagens" consinta a iniciação de uma eficaz relação teatral com as novas gerações e a criação de um público mais crítico e culto. Com residência no norte de Portugal desde 1997 sonhamos envolver-nos com a comunidade. Desde a infância a procura de um público multietário que venha desejar o teatro e aprender a ama-lo. Teatro que se quer como direito democrático e cívico.

SEXTA-FEIRA DIA 31 DE MAIO

“Assim se fazem as Coisas”
17h30 PIM Teatro, Évora/João Palma

Apresentação/Divulgação
Biblioteca Quinta da Caverneira

18h00 Teatro O Bando, Palmela/Margarida Mata

Apresentação/Divulgação
Biblioteca Quinta da Caverneira

Quem faz e quem programa Teatro em Portugal para jovens públicos?
Para uma possível “cartografia” da situação atual.
Apresentações mais ou menos encenadas, orais, performativas, com meios audiovisuais, de Companhias, Criadores, Projectos, Festivais e Programadores.

Um tempo de saber o que fazem e por onde andam os que se dedicam ao teatro para os jovens públicos, juntando experiência e novos praticantes. Pretexto para que de uma forma perfomativa se dê a conhecer trajectos, espectáculos, companhias, programadores ou dramaturgos que se encarregam de manter vivo este teatro.

21h30 La vida de los Salmones – Karlik Danza Teatro – La Nave Duende - Cáceres/Espanha
Espectaculo
Auditório Quinta da Caverneira
M/6 | 60M
22h30 Vozes do público
Conversa sobre o espetáculo
Auditório Quinta da Caverneira

Durante sete noites em agosto, do anoitecer ao amanhecer, em algum lugar entre devaneio e memória, Adrienne e Aura, uma mulher e uma menina, estão no momento de desligar a luz para dormir. Naquele instante as sombras crescem e os medos deslizam pelas paredes. Tudo assusta, tudo se preocupa. Mas Adrienne, Aura e a dançarina que os acompanha, dançando seus sonhos e desafiando os monstros, caminharão juntos por um caminho que lhes dará paz. Noite após noite, eles se encontram no quarto de Aura, naquele momento mágico que é o fim do dia, para imaginar, criar, cantar, contar e lembrar. E cada noite eles aprendem algo novo que eles não sabiam, do mundo e de si mesmos.

Texto de Itziar Pascual Interpretação Cristina Pérez Bermejo, Chloé Bird, Elena Rocha Direção e coreografia Cristina D. Silveira Espaço cênico, figurinos e ilustrações Susana de Uña Espaço sonoro e música original Álvaro Rodríguez Barroso Músicas de Embalar Chloé Bird, Álvaro Rodríguez Barroso Desenho de luz David Pérez Hernando Vídeo-criação e animação Mara Núñez Berrocoso Diretora Assistente Projeto do Palco de Laura Durán, Antonio Ollero, Myriam Cruz Figurinos Luisi Penco, Lali Moreno Gestão técnica David Pérez Hernando Técnico de iluminação Alfonso Rubio Assistente de Produção María López Martín Produção David Pérez Hernando e Gloria Muñoz

Historial
Karlik nasceu em Cáceres (Extremadura) em 1991 com o objetivo de encontrar uma linguagem cênica que possa ir além de qualquer técnica assimilada. Desde a fundação do sob a direção artística de Cristina D. Silveira e a direção técnica de David Pérez Hernando, produziu vinte e três espetáculos.

www.karlikdanza.com

SÁBADO, DIA 1 JUNHO (Dia Mundial da Criança)

16h00 Evaristo&Cia – Txo Titelles – Catalunha/Espanha
Espectaculo
Exterior da Quinta da Caverneira
M/06 | 45M
17h00 Vozes do público
Conversa sobre o espetáculo
Exterior da Quinta da Caverneira
Entrada Livre

Evaristo, uma personagem intrépida e simpático, recorre às ruas da cidade ao ritmo do heavy metal sobre a sua motorizada reciclada cheia de artifícios e mecanismos inesperados. Desde a sua aparição causa espanto e assombro entre os transeuntes que, surpresos e incrédulos, respondem às suas saudações e piscadelas provocando divertidas e animadas situações. Um espetáculo itinerante que nos deleita durante o seu passo, fazendo-nos rir e viver num mundo de fantasia.

Ideia e Construção Nartxi Azkargorta Aconselhamento Técnico Francesc Miserachs Aconselhamento Artístico Ester Cabacés Música Germans Figueres Fotografia e Vídeo Txo Titelles e Cesc Garsot Produção Tirori S.L

Historial
A Companhia é formada por Nartxi Azkargorta e Esther Cabacés. Tendo percorridos já vários caminhos diferentes. A Companhia nasceu no ano 1995 pelo manipulador de marionetes basco Nartxi Azkargorta, co-fundador. O primeiro espetáculo, Re9N foi de fantoches em miniatura manipulados com chaves e esta técnica e os recursos utilizados no espetáculo foram uma inovação muito aplaudida no mundo dos fantoches. Um ano depois, Nartxi muda-se para a Catalunha e cria "Bidaide", seu segundo espetáculo, de rua itinerante, com um único boneco de tamanho humano. Com ele, ele visita numerosas feiras e festivais medievais. No ano 98, a TXO inicia uma nova etapa com o espetáculo para público familiar Alé, Hop, Chapeuzinho Vermelho... e o Lobo? Este espetáculo tem a participação do marionetista Esther Cabacés, fundadora e membro da Companhia Tanxarina (Galícia) e Zootrop (Catalunha). A partir deste momento, Esther torna-se uma parte ativa da Companhia. Atualmente a Companhia combina os seus desempenhos com a abertura de sua oficina ao público, oferecendo uma visita ao mundo mágico dos fantoches.

www.txotitelles.com

18h00 La Primera obra de Arte – Fundición Sevilla & Oriolo - Sevilha/Espanha
Espectáculo
Auditório da Quinta da Caverneira
M/06 | 60M
19h00 Vozes do público
Conversa sobre o espetáculo
Auditório da Quinta da Caverneira

Oriolo mudou a batuta por pincéis! Depois de "El Primer Concierto", Oriolo mostra-nos outra das suas facetas artísticas com o seu novo espetáculo "La Primera Obra de Arte". Oriolo-Clown-Artist está prestes a ficar manchado de tinta, encher-se de lama, esculpir mármore e viajar no tempo. Ele não se importa de cozinhar, equilibrar-se, fazer malabarismos, tocar música ou o que for preciso para nos seduzir e nos convidar a entrar no maravilhoso e mágico mundo das Belas Artes. Tudo isso a partir de sua aparência inocente, inteligente, absurda, apaixonada e ao mesmo tempo coerente.
"Um passeio cômico e didático pela história da arte"
"Uma defesa do poder da criatividade”

Ideia original e interpretação Oriolo Boixader Direção Mané Solano Música Jasio Velasco Criação audiovisual Elisabeth Breil Espaço cénico Mar Aguilar Assistente Espaço cénico Yanira Muñoz Figurinos Oriolo Cía., Mar Aguilar e Lola Piña Iluminação David Romero de la Osa Desenho gráfico Rocco Lombardi Pablo Gil Technician Distribuição e comunicação Angélica Cruz Fotografia Luis Castilla Vídeo promocional The Good Star Gestão de Produção Marina Rodríguez Com o conselho artístico de Paco Mir

Historial
Fundicion é a sede social e permanente da Atães - Associação dos Amigos do Teatro e Artes de Sevilha, que desde 1999 cedeu o espaço através de acordo com o Departamento de Cultura da Cidade. A Fundação produz espetáculos com linguagem
Contemporânea, alternando diferentes estilos.
www.fundiciondesevilla.es/web/producciones

DOMINGO, DIA 2 JUNHO

16h00 Evaristo&Cia – Txo Titelles – Catalunha/Espanha
Espectáculo
Exterior da Quinta da Caverneira
M/06 | 45M
17h00 Vozes do público
Conversa sobre o espetáculo
Exterior da Quinta da Caverneira
Entrada Livre

Evaristo, uma personagem intrépida e simpático, recorre às ruas da cidade ao ritmo do heavy metal sobre a sua motorizada reciclada cheia de artifícios e mecanismos inesperados. Desde a sua aparição causa espanto e assombro entre os transeuntes que, surpresos e incrédulos, respondem às suas saudações e piscadelas provocando divertidas e animadas situações. Um espetáculo itinerante que nos deleita durante o seu passo, fazendo-nos rir e viver num mundo de fantasia.

Ideia e Construção Nartxi Azkargorta Aconselhamento Técnico Francesc Miserachs Aconselhamento Artístico Ester Cabacés Música Germans Figueres Fotografia e Vídeo Txo Titelles e Cesc Garsot Produção Tirori S.L

Historial
A Companhia é formada por Nartxi Azkargorta e Esther Cabacés. Tendo percorridos já vários caminhos diferentes. A Companhia nasceu no ano 1995 pelo manipulador de marionetes basco Nartxi Azkargorta, co-fundador. O primeiro espetáculo, Re9N foi de fantoches em miniatura manipulados com chaves e esta técnica e os recursos utilizados no espetáculo foram uma inovação muito aplaudida no mundo dos fantoches. Um ano depois, Nartxi muda-se para a Catalunha e cria "Bidaide", seu segundo espetáculo, de rua itinerante, com um único boneco de tamanho humano. Com ele, ele visita numerosas feiras e festivais medievais. No ano 98, a TXO inicia uma nova etapa com o espetáculo para público familiar Alé, Hop, Chapeuzinho Vermelho... e o Lobo? Este espetáculo tem a participação do marionetista Esther Cabacés, fundadora e membro da Companhia Tanxarina (Galícia) e Zootrop (Catalunha). A partir deste momento, Esther torna-se uma parte ativa da Companhia. Atualmente a Companhia combina os seus desempenhos com a abertura de sua oficina ao público, oferecendo uma visita ao mundo mágico dos fantoches.

www.txotitelles.com

18h00 Os Grandes Não Têm Grandes Ideias - Fértil Cultural – Vila Nova de Famalicão~
Espectaculo
Auditório Quinta da Caverneira
M/06 | 60M
19h00 Vozes do público
Conversa sobre o espetáculo
Auditório Quinta da Caverneira

Uma menina chamada Constança
Um ser animal muito pequeno.
Encontram-se perto do nascer do sol. Junto do moinho do rio. Junto da casa de Ninguém. Ninguém é o nome deste ser minúsculo. Que vem de lado nenhum e vai para nenhum lado. Gosta de palavras novas, do seu significado e da sua utilidade ou inutilidade. As dúvidas que pairam nas cabeças destes amigos são as mesmas de algumas crianças e alguns adultos: “As pessoas cabem todos no planeta Terra? E os recursos são suficientes? O que é sustentabilidade? Para onde vai o lixo que produzimos? O que é governo e governar? Emoções e sentimentos?
Juntos vão descobrir. E nós também.

Criação e Interpretação Neusa Fangueiro Apoio à Criação Rui Alves Leitão Cenografia e marionetas Sandra Neves Figurinos Inês Mariana Moitas Música Rúben Figueiredo Produção Executiva Cristiana Morais

Historial
A Fértil surge do encontro entre o teatro e a antropologia, duas formas de olhar para o ser humano como produtor de cultura e de questionar a sua condição de vida. Em 2010 é fundada a associação com o propósito de dar voz às criações e investigações que partam desse princípio. As criações da Fértil assentam essencialmente no teatro e na sua relação com as outras formas artísticas. O teatro é por excelência o laboratório onde se permite a experimentação do nosso trabalho. Privilegiando as criações originais, permite-nos, como criadores, uma melhor abordagem às mais diferentes temáticas e a adequação destas ao nosso propósito, assim como a afirmação dos artistas envolvidos.
www.fertilcultural.org

SEGUNDA, DIA 3 JUNHO
15h30 “Último Ato”
Reflexão Crítica sobre espectáculos e Programa
Auditório Quinta da Caverneira
Entrada Livre

“Tudo desde sempre. Nunca outra coisa. Nunca ter tentado. Nunca ter falhado. Não importa. Tentar outra vez. Falhar outra vez. Falhar melhor."*

No último dia do Festival realizaremos um encontro de crítica e reflexão entre criadores, companhias, espectadores e público em geral. Queremos que juntos, olhos nos olhos, falar dos espectáculos que o Festival selecionou e da sua programação em geral. Para isso teremos críticos que visionarão todos ou alguns espectáculos e que, neste encontro, farão a sua apreciação, de modo a suscitar um debate com todos.
A falar é que a gente se entende.

José Leitão
Diretor Artístico
Teatro Art’Imagem

Nesta edição foram convidados para comentar os espectáculos do Festival dois nomes do universo do teatro para a infância e juventude, João Luiz, director do Pé de Vento, quarenta anos de teatro, e Ana Madureira, uma jovem actriz e encenadora que está no início da sua carreira.

18h00 NOVOS CADERNOS FAZER A FESTA
Lançamento e Apresentação
Auditório da Quinta da Caverneira
Entrada Livre

Em 1989, na 8ª edição do festival foi lançado em colaboração com as Edições ASA o nº 1 do Cadernos do FAZER A FESTA, uma publicação que tinha como objetivo «dar a conhecer alguns textos e opiniões sobre a problemática do teatro para a infância e juventude, matéria de debate nas várias edições do Festival». Tinham ainda como objetivo que essas publicações saíssem regularmente. No ano seguinte foi publicado o nº 2. Depois dum grande interregno de publicações destes cadernos, em 2019, na 38ª edição do festival retoma-se essa publicação, agora passadas três décadas com o nome Novos Cadernos FAZER A FESTA. Serão apresentados o nº 1, relativo à edição de 2016 (em que constam os debates: “Que Fazer com o Fazer a Festa, 35 anos depois?”, "Apresentação dos Festivais Internacionais de Teatro", "“Manuel João Gomes – Uma espécie de doce guerrilheiro na crítica de teatro ou um bom pretexto para se falar (da crítica) hoje.", “Mário Viegas – Que pena as ideias serem o que são ou enquanto se está à espera do Godot porque não falar de um rapaz chamado Mário Viegas?" e o nº 2 relativo a 2018 (dos debates: "À procura do Teatro para a Infância e Juventude" e "Último Ato - Reflexão crítica sobre a programação e os espetáculos apresentados".

OUTRAS ATIVIDADES
“Feira do Livro e Textos de Teatro”
De 28 de maio a 3 de junho
(Durante o horário das atividades programadas)
Biblioteca da Quinta da Caverneira

Mostra de publicações teatrais e divulgação de textos e estudos não publicados.

-

Ficha Artística e Técnica

Produção e Direção do Teatro Art´Imagem
Direção Artística José Leitão
Apoio à Programação Sofia Leal
Direção de Montagem Pedro Carvalho
Moderação dos Debates/Encontros Micaela Barbosa
Coordenação "Vozes do Público" Flávio Hamilton
Produção Sofia Leal e Daniela Pêgo
Apoio à Produção Sónia André e Flávio Hamilton
Concepção e Montagem de Exposição José Caldas e Artur Rangel – Quinta Parede Apoio à Exposição José Lopes
Técnico de Som e Luz André Rabaça
Técnico Maquinista José Lopes
Vídeo Hugo Moutinho
Fotografia Nuno Ribeiro
Web Design e Design Gráfico Inácio Barroso
Imagem Gráfica inspirada em obra de Malevich

BILHETEIRA
Quinta da Caverneira
5,00€ | Normal
3,00€ | Desconto para estudantes, M/65, Profissionais das Artes Cénicas e Desempregados
Horário |30 minutos antes do início de cada espetáculo.

LOCAL
Auditório da Quinta da Caverneira
Avenida Pastor Joaquim Eduardo Machado 4425-253 Águas Santas – Maia

+ INFO
TEATRO ART'IMAGEM 22 208 40 14 | 91 76 91 753 | 91 08 18 719
teatroartimagem@hotmail.com | www.teatroartimagem.org