Passar para o Conteúdo Principal Top
Ação Social CM Maia
Logótipo da Câmara Municipal de Maia

Sorrir para a Vida.

Objetivos

Imagem dos GAIL
O que são:

Uma nova forma de conceção, organização e gestão dos serviços de âmbito social, que obriga a uma rentabilização dos recursos existentes e permite a articulação entre as diferentes entidades públicas e privadas que intervêm no tecido social do Município da Maia.

Este tipo de serviço surge na sequência do trabalho desenvolvido pelos diversos parceiros no âmbito da Rede Social. Foi em Junho de 2007, após a celebração de um protocolo entre a autarquia, o Instituto de Segurança Social e outras entidades solidárias do concelho da Maia, que abriram à população os Gabinetes de Atendimento Integrado Local, com o objetivo de criar um serviço de proximidade, possibilitando o acesso a um conjunto de sistemas sociais básicos, de forma a permitir a sua inserção nos domínios social, económico, institucional, territorial e simbólico.

O Município da Maia encontra-se totalmente coberto com estas estruturas de atendimento de proximidade. Os Gabinetes de Atendimento Integrado Local são uma resposta adaptada à diversidade de problemáticas sociais, que coloca sempre as pessoas em primeiro lugar.

 

Objetivos:
  • Criar respostas de carácter integrado para famílias económica e socialmente vulneráveis;
  • Otimizar recursos, reduzir o tempo de espera e dar resposta aos problemas identificados;
  • Permitir uma maior eficiência e eficácia da intervenção.
Vantagens:
  • Intervenção social mais abrangente;
  • Rentabilização dos recursos disponíveis;
  • Maior celeridade no atendimento e intervenção;
  • Maior envolvimento dos parceiros;
  • Criação da figura de gestor de caso, sendo cada indivíduo ou família atendido e acompanhado pelo mesmo técnico.
Parceiros:
  • Câmara Municipal da Maia;
  • Centro Distrital de Segurança Social do Porto;
  • Junta de Freguesia de Águas Santas;
  • Junta de Freguesia do Castêlo da Maia;
  • Junta de Freguesia da Cidade da Maia;
  • Junta de Freguesia de Folgosa;
  • Junta de Freguesia de Milheirós;
  • Junta de Freguesia de Moreira;
  • Junta de Freguesia de Nogueira e Silva Escura;
  • Junta de Freguesia de Pedrouços;
  • Junta de Freguesia de S. Pedro Fins;
  • Junta de Freguesia de Vila Nova da Telha;
  • Associação de Solidariedade Social Mouta Azenha Nova (ASMAN);
  • Associação Portuguesa de Pais e Amigos dos Deficientes Mentais da Maia (APPACDM da Maia).
Log¢tipo GIP
O que são:
 

Criados pela Portaria nº 127/2009 de 30 de Janeiro, os Gabinetes de Inserção Profissional (GIP) integram-se no conjunto de medidas que visam proceder à racionalização e sistematização do edifício legislativo que enquadra e regula as medidas de política de promoção da coesão social através do emprego e da qualificação profissional. Com o objetivo de melhorar a eficácia dos serviços de apoio ao emprego, os GIP prestam apoio a jovens e adultos desempregados para a definição ou desenvolvimento do seu percurso de inserção ou reinserção no mercado de trabalho, em estreita cooperação com os Centros de Emprego.

O Município da Maia, consciente da importância da intervenção das Autarquias em áreas tão vitais como o emprego e a qualificação, evidenciou desde sempre a sua preocupação com as implicações atuais e futuras do cenário ao nível do emprego no nosso Município. O concelho dispõe assim de nove Gabinetes de Inserção Profissional:

  • Três promovidos diretamente pela Câmara Municipal;
  • Dois promovidos pela Santa Casa da Misericórdia da Maia.
Público-alvo:

Desempregados, jovens ou adultos, que necessitem de apoio na resolução do seu problema de inserção ou reinserção profissional.

 
Objetivos:
  • Acolhimento;
  • Informação;
  • Orientação profissional;
  • Apoio e acompanhamento dos jovens/adultos desempregados à procura de uma formação e/ou emprego.
Descrição das Atividades Desenvolvidas:
  • Informação profissional para jovens e adultos desempregados;
  • Apoio à procura ativa de emprego;
  • Acompanhamento personalizado dos desempregados em fase de inserção ou reinserção profissional;
  • Captação de ofertas junto de entidades empregadoras;
  • Divulgação de ofertas de emprego e atividades de colocação;
  • Divulgação e encaminhamento para medidas de apoio ao emprego, qualificação e empreendedorismo;
  • Motivação e apoio à participação em ocupações temporárias ou atividades em regime de voluntariado, que facilitem a inserção no mercado de trabalho;
  • Outras atividades consideradas necessárias ao acompanhamento dos desempregados inscritos nos Centros de Emprego.